A verdadeira essência do Salmo 23

A VERDADEIRA ESSÊNCIA DO SALMO 23 O Salmo 23 é, certamente, o preferido de toda a Cristandade, porque aclamado como o mais belo de todos os Salmos. Incontáveis são as residências, os estabelecimentos comerciais, os hospitais, as escolas, os veículos e até mesmo os jazigos, que ostentam ao menos um Versículo deste Salmo. O autor desta preciosidade é Davi, o mais célebre rei de Israel, que antes de se tornar rei era um desvelado e destemido pastor de ovelhas. Quem ler o texto do Primeiro Livro de Samuel 17:34-36, convencer-se-á de que o salmista e rei Davi era mesmo digno de possuir o título de Pastor, tanto natural quanto espiritualmente, na verdadeira acepção da palavra, o que o coloca, portanto, em total oposição aos pastores descritos em Jeremias 23:1-4, que inclui, também, os hodiernos. Sobre ele, Deus diz: “Achei a Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração.” (1Sm.13:14; At.13:22) A beleza e a magnitude do Salmo 23 são mesmo de encher os olhos e a alma; porém, a má interpretação por parte de algumas pessoas tem, lamentavelmente, causado o desvio da verdadeira essência deste O Salmo 23 (ou, pela numeração da Septuaginta, o Salmo 22) é atribuído ao Rei David, conforme a tradição judaica, David teria escrito este Salmo quando estava cercado num oásis, à noite, por tropas de um rei inimigo, daí o Salmo inserir tamanha confiança na Providência Divina contra os inimigos. Na tradição católica, o Salmo é rezado para afastar perigos e perseguições, sendo uma das orações mais poderosas. Alguns especialistas judaicos afirmam que há elementos cabalísticos em sua recitação em hebraico. É considerado o mais conhecido Salmo bíblico[1][2]. Uma das possíveis traduções para o português é:[3] David era o irmão mais novo, entre os numerosos filhos de Jessé. O pai escolheu-o para pastor. David, conforme relato bíblico,(Livro de Samuel) quando possuído pelo Espírito Santo, matava as feras para defender as ovelhas do seu rebanho. Daí a forte referência pastoril em "O Senhor é meu Pastor". Existem várias referências ao pastor e às ovelhas na Bíblia. Interessante pensar nas condições e locais da época assim como as ferramentas do pastor: • águas de descanso - pequenas lagoas onde as ovelhas bebem água. • vara - usada para enfrentar e afugentar animais selvagens. • cajado – usado para puxar as pernas das ovelhas quando se prendem ou içá-las quando caem. • óleo – azeite usado para tratar os ferimentos das ovelhas.

sábado, 17 de julho de 2010

O Patriarca do G-12

O Patriarca do G-12




Tenho um profundo respeito por diversos pastores e crentes do movimento celular no modelo dos 12 (o G-12, como ficou popularmente conhecido no Brasil). Não sou adepto deste movimento, nunca fui ao “Encontro”, não sigo este método de trabalho, minha igreja não adota este modelo. Mas, respeito o trabalho destes irmãos em Cristo, embora discorde de alguns pontos. Como em qualquer movimento evangélico, há erros e acertos, exageros e equilíbrio, gente séria e manipuladores. No G-12 não é diferente. Há pessoas sérias a quem respeito e por isso não vou comentar as minhas opiniões divergentes.
Esta semana fiquei surpreso ao receber por e-mail a notícia de que o Apóstolo Renê Terra Nova agora é Patriarca, título semelhante ao de Abraão. Foi reconhecido por sua igreja e houve um ato profético do manto sacerdotal, em cor púrpura, sobre a vida do casal de apóstolos. Leia a notícia no portal www.creio.com.br
Onde é que nós vamos chegar com isso hein? Até que ponto esta banalização de títulos é saudável para a Igreja Brasileira? Seria fruto de um resgate de todos os dons ministeriais registrados na Bíblia (como apregoam alguns) ou apenas conseqüência da vaidade dos líderes evangélicos? Será que ninguém mais se orgulha de ser chamado de Pastor? Estamos vendo um festival de apóstolos, bispo primaz e agora, Patriarca (existe este dom ministerial na Bíblia???). Fala sério, meus irmãos. Precisamos resgatar a simplicidade do evangelho, o desejo de ser apenas Servos de Deus.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Vencedor ou Vítima?


Ao longo da vida enfrentamos uma série de situações diferentes, mas em todas elas a atitude que escolhemos tomar será sempre fundamental para o sucesso ou derrota em nossas vidas. Somos na verdade nós que escolhemos se seremos vencedores ou vítimas. Pois isso não tem tanto a ver com as circunstâncias em si, que podem mesmo ser terríveis, mas tem a ver sim, com a nossa atitude diante delas.

A Bíblia tem muito a nos ensinar sobre isso, vejamos por exemplo o episódio ocorrido com Davi e seus homens, descrito em 1 Samuel 30.1-3:

"Quando Davi e seus soldados chegaram a Ziclague, no terceiro dia, os amalequitas tinham atacado o Neguebe e incendiado a cidade de Ziclague. Levaram como prisioneiros todos os que lá estavam: as mulheres, os jovens e os idosos. A ninguém mataram, mas os levaram consigo, quando prosseguiram seu caminho. Ao chegarem a Ziclague, Davi e seus soldados encontraram a cidade destruída pelo fogo e viram que suas mulheres, seus filhos e suas filhas tinham sido levados como prisioneiros."

Davi sente profundamente a dor daquela situação caótica. "Então Davi e seus soldados choraram em alta voz até não terem mais forças. " v.4

A situação fica ainda pior para o líder . "Davi ficou profundamente angustiado, pois os homens falavam em apedrejá-lo;"v. 6 a

Davi sofre a sua própria dor, a dor dos seus liderados e agora a pressão da sua posição de líder que passa a ser acusado injustamente. A dor e a amargura cega as pessoas. "todos estavam amargurados por causa de seus filhos e de suas filhas."6b

Temos duas atitudes ou reações a tomar diante de situações como estas e ambas as opções estão descritas neste episódio bíblico.

a) A atitude de VÍTIMAS - Os homens de Davi se deixaram dominar pelo caos e por toda gama de sentimentos gerados pelo mesmo, o que incluiu rebelião, injustiças, murmuração, vitimização e consequente falta de reação para tentar enfrentar a situação.

b) A atitude de VENCEDOR - Davi optou em resistir e reagir positivamente a todo o quadro de aparente derrota descontrolada.

Como vencedor Davi fez duas coisas:
Primeiro, ele fortaleceu-se no Senhor ou se encorajou no Senhor. "Davi, porém, fortaleceu-se no SENHOR, o seu Deus."6 c.
A oração e o derramar do coração na presença do Senhor. Ele certamente fez uma exposição de toda a situação na presença do Senhor. Nesse fortalecer e reanimar no Senhor está o renovar das forças e a obtenção de coragem para continuar a vida, isso já é vitória em si mesmo.

Segundo, ele buscou a direção do Senhor para aquele decisivo momento de sua vida. (vide versículo 7-8)

Esse buscar de Davi pode ser dividido em três passos, a saber: o passo da fé -A confiança na soberania de Deus, Davi buscou a presença do Senhor exercitando a fé. O passo do compromisso - para cumprir a missão ou o propósito recebido. Ele se manteve à frente daqueles homens (v. 9-10). E o passo da ação - para colocar em prática a vontade e estratégia do Senhor. Ele confiou, ele agiu, ele foi à luta batalhou e venceu.

Quando buscamos a direção do Senhor seguimos no caminho da vitória.
Ninguém pode derrubar você a não ser que você permita, a nossa atitude é responsabilidade nossa.
Diante dos problemas que nos chegam sempre teremos a opção de nos deixar dominar pelas circunstâcias e permitir que elas nos derrubem, nos transformando em vítimas ou reagir e assumir pela graça o controle sobre a nossa própria atitude diante da vida na total dependência do Senhor.
Davi nos ensina aqui a fazer sempre a segunda opção, nos lembrando que toda vitória dos servos do Senhor estava baseada em uma atitude pessoal vitoriosa.
Davi venceu, sua liderança passou por uma grande prova, mas a Bíblia diz v. 19 "...Davi recuperou tudo".
Mas tudo começou quando ele decidiu não ser vítima, mas vitorioso no Senhor. Pois... "Davi, porém, fortaleceu-se no SENHOR, o seu Deus."6 c.
Essa deve ser a nossa opção também.

http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Deputados Assinam Emendas sem saberem o que estão assinando

video